home A Doença de Parkinson A Associação A Túlipa Links
 
As Publicações APDPk
Ajude a APDPk
Delegações
Espaço Aberto
Glossário de Termos
Legislação
Notícias
Noticias Médicas
Protocolos
Serviços de Saúde Especializados
Videos Parkinson
Viver com Parkinson
Declaração de Privacidade On-line
Direção Documentos
Conselho Científico
Infarmed
 
Newsletter
insira o seu email, para receber a nossa newsletter periódica.
 
 
 
 
 
 
 
Associa Pro
 
Utilizador
Palavra-chave
 

 

   
Home » A Doença de Parkinson
 
Dr. Parkinson, um ilustre... desconhecido !


(.../...) Em 1783, casa com Mary Dale, que lhe dará seis filhos. Licenciado em 1784, exerce como cirurgião junto ao pai. O seu pai é um médico que pode ser classificado de humanista. Sensível à assistência humana, ocupa-se dos pobres na paróquia, investe numa enfermaria de uma fábrica, e tem responsabilidades num asilo de alienados, com o propósito de melhorar as condições de vida dos doentes e de lhes dar dignidade, sem perder de vista as patologias «sociais» que atingem os meios desfavorecidos.



 Logo que a revolução eclode em França, torna-se um ardente reformista, milita pela desobediência civil e toma abertamente partido contra o segundo governo de Pitt (1759-1806). Participa em numerosas lutas sociais redigindo uma vintena de panfletos sob o pseudónimo de Old Hubert. A situação europeia é propícia a todas as convulsões. A Inglaterra está em guerra contra a França e os círculos de inspiração jacobina semeiam a desordem no reinado de Jorge III. É assim que Parkinson se radicaliza e integra diversas sociedades secretas, como a London Corresponding Society for Reform of Parliamentary Representation (Sociedade Londrina para a Reforma da Representação Parlamentar), o que lhe vale uma convocação perante o Conselho Privado de Sua Majestade. O médico é interrogado como testemunha duma conspiração com a finalidade de assassinar o rei! Temendo ser compelido a acusar-se, recusa testemunhar sobre juramento sobre a sua eventual participação. O caso é esquecido rapidamente, o conspirador suspeito não sofre nenhuma pena.



 Sem dúvida temeroso pela perspetiva pouco agradável da forca, renuncia a publicar outros escritos políticos, mas manteve ligações à maçonaria francesa. Parkinson recentra-se na medicina. Por 1800 a 1817, ao mesmo tempo que a Inglaterra envereda pela via dura contra o Imperador dos franceses, escreve numerosos pequenos trabalhos de pesquisa, incluindo uma publicação notável sobre a gota, em 1805, e um tratado sobre os riscos da apendicite e peritonite, em 1812. Em 1817 publica An Essay on the Shaking Palsy (Ensaio sobre paralisia agitante).



Sem qualquer impato no seu lançamento, o livro e seu autor conhecerão renome mundial sessenta anos mais tarde, quando Jean-Marie Charcot chama a doença neurológica crónica degenerativa, a mais frequente depois do Alzheimer, a «doença de Parkinson». Embora não tenha auscultado mais que três doentes em pormenor, Parkinson descreve os sintomas com notável precisão: «Tremor involuntário, em certas partes do corpo, com diminuição da força muscular; tremores não existem durante o movimento, mas ocorrem mesmo que esses membros estejam apoiados. Tendência para dobrar o tronco para a frente e a passar involuntariamente do caminhar para marcha rápida. Integridade dos sentidos e inteligência». Nos últimos anos da sua vida, as suas pesquisas estão longe da medicina e focalizam-se sobre a geologia e paleontologia, paixões da juventude. Apesar de seu conhecimento científico, Parkinson recusa sempre a explicação evolucionista do desenvolvimento do planeta e das espécies. Defensor do criacionismo, apoia-se na ideia de uma força criativa ordenada. Juntando o útil ao agradável, este amador versado leva os seus filhos e amigos em excursões para encontrarem fósseis de plantas e animais. Ele descobre um feijão fóssil, que batiza com o seu nome Pandanacarpusparkinsonis - única contribuição que acredita deixar para a posteridade!



La Page, revista da FFGP – Fédération Française des Groupements de Parkinsoniens, edição n.º 116, 1º trimestre de 2014.



Artigo revisto por: A. Carlos Jordão - Nov. 2016


 
O Dr. James Parkinson
Veja quem foi, o que fez ...
 
 
   
 
 
2012 © APDPk - Todos os direitos reservados